Por:

Edital de licitação do Maracanã favorece Fla-Flu

Licitação do Maracanã ficou marcada para o dia 1º de janeiro de 2024 e terá o Vasco contra a dupla FlaFlu na disputa | Foto: Alexandre Macieira/ Riotur

Por Igor Siqueira e Rodrigo Mattos (Folhapress)

As regras de concorrências da gestão do Maracanã —provisória e por 20 anos- dão claro favoritismo para Flamengo e Fluminense na disputa contra o Vasco. Isso porque o critério mais pesado é o de garantir jogos de competições importantes no estádio.

Nas regras dos dois editais, o governo prioriza o uso para futebol do estádio. Portanto, o número mínimo de partidas por ano que cada postulante oferece é um fator de peso no critério técnico para escolha do vencedor.

Com isso, Flamengo e Fluminense levam bastante vantagem sobre o Vasco (ao lado das empresas WTorre e Legends) na disputa. A dupla pode somar as suas partidas como mandante para formar um bloco mais robusto de partidas.

Há ainda um consórcio de Brasília interessado na concorrência, mas sem ter consigo qualquer um dos grandes do Rio.

O governo prefere que o estádio tenha mais jogos e não seja ocupado com muitos shows. Há uma consciência dentro do consórcio de Fla-Flu que essa prioridade facilita a dupla na disputa pela concessão provisória.

Critérios de pontuação

A primeira disputa é pelo TPU (Termo de Permissão de Uso) para gestão do estádio pelo próximo ano. Nesse documento, é estabelecido um critério de pontuação para dois itens:

1) número de jogos por ano que o concorrente pode garantir no estádio

2) maior oferta financeira para a outorga (valor a ser pago ao Estado)

Em relação ao número de jogos, a tabela especifica a seguinte pontuação:70 jogos garantidos: 35 pontos

55 jogos garantidos: 25 jogos

40 jogos garantidos: 15 pontos

25 jogos garantidos: 5 pontos

Detalhe: é preciso que 75% das partidas sejam de competições nacionais e internacionais.

O entendimento do consórcio de Flamengo e Fluminense é de que a exigência trata de jogos potenciais. Isto é, todas as partidas possíveis, nas competições em que os times estejam classificados nas próximas temporadas. Esse recorte considera o que é factível no momento da entrega da proposta, em novembro.

Flamengo e Fluminense já têm 36 jogos certos do Brasileiro (há dois Fla-Flus). Como suas classificações à Libertadores ou à Sul-Americana são praticamente certas, somam mais 12 partidas. No caso da Copa do Brasil, são dez jogos potenciais, somados os dois. Considerado o Carioca (mais 12), os times chegam a 70 confrontos no ano. E isso traz a pontuação máxima nesse quesito.

O Vasco terá praticamente de abandonar São Januário para atingir o mínimo de 25 jogos sozinho. Seriam 19 jogos do Brasileiro, e outros cinco da Copa do Brasil. Atualmente, na zona de rebaixamento, o clube não tem vaga continental assegurada, o que pode mudar até o final da Série A. O Cruz-maltino pode somar mais seis jogos pelo Carioca. Mesmo com vaga continental, terá dificuldade para garantir 40 partidas sozinho.

Não há outros times do Rio na Série A ou B, a não ser o Botafogo. Ou seja, o Vasco teria de obter do time alvinegro o compromisso de jogar no Maracanã, sendo que o time tem a gestão do Nilton Santos.

Questão financeira

A outra pontuação da disputa do TPU é pela proposta financeira. O valor mínimo da outorga é R$ 2,5 milhões por ano. As ofertas financeiras são pontuadas da seguinte forma:

1ª proposta: 100 pontos

2ª maior proposta: 95 pontos

3ª maior proposta: 90 pontos

Ou seja, se o Vasco fizer a melhor proposta financeira, pode ficar 10 pontos à frente da dupla Fla-Flu. Mas, mesmo que o time atinja os 40 jogos (o que é difícil), ficaria 20 pontos atrás na disputa técnica.

Peso na TPU e na concessão

No caso da concessão definitiva do Maracanã, a regra é um pouco diferente, mas também prioriza o uso do estádio para o futebol. Na disputa por 20 anos, o critério técnico tem peso de 60% nos pontos da concorrência. O critério financeiro, 40%. Ou seja, não basta somar uma com a outra para ter o resultado final.

Mas, se ambos candidatos (Vasco e Fla-Flu) atenderem aos outros critérios técnicos (qualificações), a dupla Flamengo e Fluminense, de novo, teria um total de 70 jogos a garantir. Portanto, teria uma vantagem de pelo menos 20 pontos sobre o Vasco nesse item, em um cenário no qual o Cruz-maltino ofereceria 40 jogos por ano. A diferença poderia chegar a 30 pontos, caso o time vascaíno só atingisse 25 partidas.

Caso consiga oferecer a melhor proposta financeira na licitação pelos 20 anos, o Vasco teria vantagem de 20 pontos sobre a terceira oferta (placar de 125 a 105), no caso desta ser do Flamengo e Fluminense. Nesta hipótese, ainda assim, o maior peso do critério técnico prevaleceria a favor da dupla.

O Maracanã está com quem, afinal?

Nos últimos dois anos, jogar no Maracanã vem sendo uma polêmica maior do que o uso do VAR dentro de campo.

Toda vez que quer jogar no estádio, o Vasco aciona a cláusula do contrato provisório que permite o time de mandar seus jogos no estádio, mas a dupla FlaFlu nega, fazendo com que a diretoria Cruzmaltina entre na justiça e consiga jogar no Maraca. Uma dor de cabeça desnecessária que faz alguns torcedores desavisados acreditarem que o estádio pertence à dupla.

No momento, Flamengo e Fluminense seguem na administração provisória do estádio, pelo menos até 31 de dezembro, porque a permissão de uso foi prorrogada. A partir de janeiro, passa a valer outra permissão de uso, com duração de um ano, dada a quem vencer a concorrência.

Se a licitação para os 20 anos de gestão do Maracanã acabar antes do fim de 2024, o controle do estádio já passa para o consórcio vencedor e a permissão de uso deixa de valer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.