Por:

Tecnologia cidadã corta custo de energia

Inovação alegra moradores e enfurece concessionária | Foto: Divulgação

Às vezes, por capricho do destino, a tecnologia acaba beneficiando a maioria. É o caso do aparelho de origem uruguaia, o Linear Volt, responsável pela redução drástica das contas de luz da populosa cidade de São Gonçalo (região metropolitana de Niterói), e seu mais de 2 milhões de habitantes.

A novidade cidadã, é claro, não agradou em nada a concessionária de energia elétrica local, que logo acionou a Justiça para 'barrar' o uso do equipamento, já amplamente difundido na Europa (Holanda, Alemanha e Rússia), se expandindo por outros cantos do planeta, com resultados bem-sucedidos.

Mais do que mero 'case' de êxito comercial, o Linear Volt vem colecionando prêmios de sustentabilidade e inovação ao redor do mundo, culminando com a sua entrada de produção em São Bernardo do Campo (SP), onde inaugurou, em 2023, sua primeira fábrica no país.

A felicidade da população com súbita economia despertou a ira da concessionária que explora o setor, que vem tentando, até agora em vão, proibir a venda e distribuição do aparelho, tanto a moradores, quanto para empresas. Como argumento, a concessionária alega estar 'sofrendo prejuízos milionários com o uso crescente da inovação entre a população'.

"A adesão em massa dos moradores de São Gonçalo ao dispositivo em questão, está reduzindo nossa arrecadação de forma brusca, o que pode acabar prejudicando a distribuição de energia futuramente", protesta o porta-voz da empresa de energia, Marcelo Leme. Se não bastasse as queixas, a concessionária lança uma ameaça velada, no sentido de que o eventual prejuízo operacional da distribuição de energia pode colocar em risco, num futuro próximo, seu fornecimento. Ao mesmo tempo, caso perca a disputa judicial pela proibição do uso do Linear Volt, a concessionária admite a possibilidade de 'adaptar as contas à nova realidade na região'. (M.S.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.