Por: Fernando Molica

Correio Nacional | Indicado para procurador-geral tem perfil discreto

Paulo Gonet, escolhido por Lula para a PGR | Foto: Reprodução/ANPR

Na avaliação de um procurador que conhece bem Paulo Gonet, o indicado para a Procuradoria-Geral da República terá uma atuação mais discreta, menos proativa. Frisa que, no Supremo Tribunal Federal, onde, por designação da PGR, atua desde 2012, Gonet trabalha com questões constitucionais, não na área criminal. "É mais ligado à produção de pareceres", diz.

Frisa que, no Ministério Público Eleitoral, Gonet procura deixar o protagonismo com candidatos e partidos — foi do PDT a inciativa da ação que pediu a inegibilidade de Jair Bolsonaro por sua reunião com embaixadores. Embora tenha, depois, pedido a condenação do ex-presidente, Gonet havia considerado o caso apenas como propaganda eleitoral antecipada.

 

Conservador

O colega de MPF define Gonet como conservador e católico "de carteirinha", que vai sempre à missa. Ao falar, em maio, na Associação Nacional de Procuradores da República, ele defendeu o direito de procuradores serem contra a lista tríplice para a escolha do PGR.

Ex-sócio

Em 1998, Gonet foi, ao lado do hoje ministro do STF Gilmar Mendes, um dos fundadores do Instituto Brasiliense de Direito Público, instituição privada. Continua a dar aulas no IDP, que tem como sócios Mendes e seu filho, Francisco Mendes, administrador da empresa.

Bolsonaristas aceitam Gonet e atacam Flávio Dino

Ministro da Justiça coleciona críticas da oposição

A indicação de Gonet deverá ser aprovada com mais facilidade que a de Flávio Dino para o STF. O procurador chegou a ter seu nome ventilado para o cargo durante o mandato de Bolsonaro. O senador Carlos Portinho (PL-RJ) diz achar que Gonet não deverá encontrar dificuldades no Senado. "Temos que escolher as nossas batalhas", justifica.

Portinho diz que o governo perdeu "todo o pudor" ao escolher Dino. Para ele, o ministro, sequer é um "advogado notável". No X, ex-Twitter, insinuou que o ministro poderá não ser confirmado pelo Senado: "Vai passar vergonha." Seu colega Magno Malta (PL-ES) também adiantou que votará contra Dino.

Divisão

O PT que está de olho no Ministério da Justiça. Ministra do Planejamento, Simone Tebet (MDB) é a favorita, mas não se descarta a possibilidade de Lula dividir a pasta para criar o Ministério da Segurança Pública, promessa de campanha e área preocupante para o governo.

Zona Franca

As bondades concedidas na reforma tributária pelo Senado ao Amazonas, em particular à Zona Franca de Manaus, deverão ser podadas na Câmara. O pacote irritou deputados de diversos partidos. As benesses foram incluídas pelo relator, Eduardo Braga (MDB-AM).

No limite

O prazo para a aprovação da reforma na Câmara é curto. No fim de semana, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL) viaja para Dubai, para a conferência do clima da ONU. Depois, haverá apenas duas semanas de trabalho antes do recesso parlamentar, que começa no dia 23.

Na lona

As escolas de samba do Grupo Especial estão no sufoco já que a Prefeitura do Rio ainda não liberou a metade da subvenção de cerca de R$ 2 milhões para cada uma delas. A entrega da primeira parcela estava prevista para outubro e, até agora, nada de grana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.