Por: Fernando Molica

Correio Nacional | Jandira aposta em indiciamento de Bolsonaro

Ex-presidente na mira da CPMI do Golpe | Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Integrante da CPMI do 8 de Janeiro, a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) diz não ter "a menor dúvida" de que a senadora Eliziane Gama (PSD-MA) indiciará o ex-presidente Jair Bolsonaro em seu relatório, que será apresentado hoje.

Jandira afirma não conversado com a relatora sobre o tema, mas ressalta que atos e pronunciamentos de Bolsonaro a partir de 2021 demonstram que dele atuou para desacreditar as urnas eletrônicas e levantar dúvidas sobre a lisura da eleição presidencial.

Para ela, esses gestos foram decisivos para estimular manifestações de caráter golpista que criariam condições para uma ruptura institucional. Frisa que generais que atuaram no governo também deverão ser indiciados.

 

Indicação

Assim como nos inquéritos policiais, o indiciamento aponta para o cometimento de crimes por determinadas pessoas. Um eventual processo judicial dependerá, porém, da atuação do Ministério Público, que tem o poder de denunciar todos ou alguns dos indiciados.

Sem Aras

A deputada, que integra a base governista na CPMI, comemora o fato de Augusto Aras não ser mais o procurador-geral da República. Isso facilitaria a possibilidade de o relatório ter consequências penais, diferentemente do ocorrido com o documento final da CPI das Vacinas.

Disputa pela presidência da Câmara divide alas do PL

Pedro Lupion, dos dos cotados para disputar o cargo

O PL está dividido em torno da disputa pela presidência da Câmara dos Deputados (a eleição é apenas em fevereiro de 2025, mas muitos só pensam nisso). O presidente do partido, Valdemar da Costa Neto, tem defendido o lançamento de candidatura própria, mas setores importantes do PL consideram mais sensato apoiar um deputado com características mais ampla, menos identificado com a direita.

Um dos nomes cogitados por esse grupo é o de Pedro Lupion (PP-PR), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária e do mesmo partido do atual presidente, Arthur Lira (AL), que não poderá ser reeleito.

No páreo

Presidente da CPMI do 8 de Janeiro, Arthur Maia (PSD-BA) é outro nome cotado, mas tem contra si o fato de ser do mesmo partido de David Alcolumbre, que deverá voltar a comandar o Senado: seria muito poder para o PSD. Por fora corre Aguinaldo Ribeiro (PP-PR).

Sindicato

A eleição de Eduardo Cunha para o cargo, em 2015, reforçou a ideia de que o presidente da Câmara é uma espécie de líder de um sindicato de deputados. Tem que, principalmente, defender os interesses de seus colegas, como a liberação de emendas parlamentares.

Fla-Flu 1

O novo conflito no Oriente Médio também serve de pretexto para mais um capítulo da, pelo visto, interminável polarização brasileira. Ontem, uma amiga da coluna testemunhou um camelô que vendia bandeiras de Israel perto do Viaduto de Pilares, na zona norte do Rio.

Fla-Flu 2

Quase toda esquerda apoia os palestinos, enquanto que a direita está fechada com os israelenses. Numa leitura que se disseminou entre os evangélicos nos últimos anos, a criação do Estado de Israel, em 1948, faria parte de profecia que indica a volta de Jesus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.